Câmara de Vereadores de Leopoldina recebe representantes da COPASA e tem vários esclarecimentos

Nesta terça feira, dia 04, atendendo um convite do vereador Hélio Braga, os representantes da COPASA. Alexandre José Greco (Gerente Regional da Copasa de Leopoldina) e João Batista Barbosa Mendes estiveram participando da reunião da Câmara de Vereadores e puderam esclarecer algumas dúvidas dos edis.

De inicio o vereador Hélio Braga, autor do convite, fez questionamentos sobre alguns pontos como qual é a área da atuação da empresa na cidade, a questão dos buracos que são abertos e demoram a ser regularizados nas vias públicas e outros assuntos. O Gerente Regional, Alexandre, explicou que em Leopoldina a empresa presta atendimento na distribuição de água e não tem responsabilidade pela coleta de esgoto e águas pluviais e dentro do que foi contratada, a mesma tem mantido um razoavelmente bem em quantidade e qualidade na sede do município, ao qual está autorizada a trabalhar. O mesmo esclareceu que atualmente há mais produção do que consumo, com exceção no ano de 2014 e até hoje não foi recuperado o nível dos reservatórios, mas estamos trabalhando dentro do possível.

A COPASA está fazendo um projeto de transmissão do Rio Angu para o Rio Pirapetinga, para garantir o volume de água na cidade e essa medida é preventiva para futuros problemas de diminuição do leito do Rio Pirapetinga. O projeto está sendo montado e em 2018 deverá ser tentados recursos para a execução.

O mesmo ainda esclareceu que a empresa estará estudando a possibilidade de se ter poços artesianos em pontos específicos para captar águas profundas, principalmente na área do Bairro Bela Vista, a qual está crescendo e há uma distância muito grande do reservatório até o bairro e esse estudo deverá ser feito em breve por equipes especializadas e já é uma medida visando o futuro.

Quanto aos buracos o serviço de pós-fechamento é feito por uma empreiteira contratada e às vezes o volume de abertura é maior que o de fechamento e não tem como a empresa contratada ter uma equipe maior para esse serviço, pois é uma coisa imprevisível e é inviável para a mesma. Segundo ele no período de agosto a abril há menos vazamento e no período de inverno, há maiores vazamentos devido à baixa do consumo e a tubulação fica sob pressão devido a água parada nos encanamentos.

João Batista explicou que a área da atuação da COPASA é o fator urbano e que atende do Posto Puris até o Sítio da Brahma na BR 116 e há uma solicitação de ir até mais longe, numa comunidade, mas é necessário se ter a verificação de lá é urbano ou não, pois se tiver pagamento de IPTU poderá ser atendido.

O vereador Jacques Villela fez questionamento sobre o problema da água na área da Jehu Faria, que atende ao Bairro Quinta Residência e devido à baixa pressão há prédios que tem dificuldades de levar a água ate a caixa d’água, sendo que a Prefeitura alegava que a Avenida Jehú Faria era de responsabilidade do DNIT e o órgão dizia que era da Prefeitura e para fazer o serviço seria necessária uma autorização. Alexandre relatou que estão negociando com a prefeitura e na próxima semana deverá ser executado em parceria com a prefeitura, no setor de obras, e o problema deverá ser resolvido.

Outra pergunta do vereador é sobre a COPASA tem interesse em atender aos distritos, ele disse que há sim o interesse da COPASA em atender aos distritos, mas isso depende de interesse do executivo e ele não sabe qual o tipo de contrato entre o município e a empresa e se neste caso poderia se ter um aditivo ou um novo contrato de concessão, mas tudo depende de estudos e negociações entre as partes.

O vereador Valdilúcio Malaquias fez questionamento sobre uma indicação feita por ele no dia 30 de janeiro, com o seguinte teor: COPASA para que com a máxima urgência providencie a colocação de água na Rua Helena Tavares Resende, Bairro Fortaleza, haja vista a referida rua não ter saneamento básico e os seus moradores fazerem uso de água de poço sem as condições ideais para o consumo. Ele explicou que o local tem IPTU e as pessoas estão utilizando águas dos poços sem o mínimo de qualidade, nem para tomar banho está servindo, imagina para beber e por isso fez tal solicitação, o gerente da COPASA, Alexandre disse que irá verificar o fato, pois sabendo que se trata de um perímetro urbano a empresa pode atender. Valdilúcio ainda questionou sobre o aumento do reservatório e os valores arrecadados na cidade com as contas de água paga. Alexandre disse que o aumento do reservatório ou sua altura não é viável financeiramente e nem resolveria o problema da cidade e disse que valores monetários não teria como informar por está desatualizado, mas sabe-se que em Leopoldina há 16 mil e pouco de hidrômetros e há quase 19 mil domicílios, a diferença nos números é devido aos prédios terem um só hidrômetro para atender todos os apartamentos existentes e que a COPASA poderá posteriormente mandar os dados econômicos, que ficam centralizados em Belo Horizonte.

Rogério Machado falou sobre a possibilidade de se aumentar a altura da área onde se retira a água e o gerente explicou que é inviável e que é o mesmo caso da sugestão do vereador Valdilúcio e disse que construir um novo reservatório é um grande problema por atingir vários moradores da área rural e problemas ambientais, a nossa região não tem área plana e isso dificulta na construção dos reservatórios ou área de contenção de água.

Valdair Costa disse se há a possibilidade da empresa fazer uma audiência pública no distrito de Tebas para explicar os custos e o que acarretaria aos moradores do distrito a implantação da COPASA, Alexandre se colocou a disposição e disse que os custos são apenas a cobrança da tarifa de água no distrito, como acontece em todo o estado e disse que para se fizer tal implantação é necessário que a população entenda e seja bem esclarecida, pois atualmente a água é distribuída gratuitamente e após a chegada da empresa haverá cobrança e isso tem que ser bem explicado para se evitar o desgaste junto à comunidade.

Jacques Villela disse que quando há falta de água nos distritos todos concordam com a chegada da COPASA, mas quando não há alguns reclamam e isso tem que ser bem estudado.

O vereador Elvécio Barbosa questionou sobre as constantes faltas de água no Bairro Cidade Alta e foi explicado que lá por ser alto há a necessidade de uma bomba para enviar á água até o local e por vários motivos há problemas, desde falta de energia, defeitos, raios nos dias chuvosos e muitos mais, mas que antigamente a cidade de Leopoldina não tinha material de reposição e tinha que pegar emprestado em outras cidades, mas agora ele tem bombas reservas e a solução está sendo mais rápida e a COPASA estuda a possibilidade de se construir reservatórios elevados em alguns pontos, mas isso está sendo planejado e vendo a possibilidade de implantação.

Os vereadores Antonio Carlos Martins Pimentel e Jurandir Fófano elogiaram a COPASA pelo trabalho e agradeceram a presença dos representantes da empresa e os esclarecimentos.

Na sequencia da reunião dois projetos do executivo deram entradas e a comissão especial não foi autorizada, que é para analise em regime de urgência, os projetos são a criação de um concurso de Fotografia com premiação em dinheiro de R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais) alusivo ao aniversário da cidade e inclusive a vereadora Kélvia pediu que os vereadores autorizassem a comissão especial, mas os vereadores votaram contra: Rosalvo, Rogério, Valdair, Jacques Vilela, Valdilúcio e José Ferraz.

O outro projeto é o parcelamento de dividas em impostos de responsabilidade da prefeitura, em até 60 meses e têm várias condições, a comissão especial foi negada com os votos de:

Rosalvo, Kélvia Raquel, Valdair, Ivan, Jacques, Valdilúcio e José Ferraz e a vereadora Kélvia disse que votava nesse sentido para ver como será a participação dos novos vereadores nas comissões que analisam os projetos, pois há uma dificuldade de se ter reuniões entre os membros nesse sentido e que espera que nessa nova legislatura realmente haja uma discussão e análise mais detalhadas dos projetos.

O vereador Rosalvo entrou com vários projetos que foram para as comissões para analise, sendo alguns da área da saúde (marcação de exames), criação do dia da Capoeira e outros. Na reunião também tiveram vários requerimentos, indicações, moção de pesar e de congratulações. Os vereadores José Augusto Cabral e Sebastião Geraldo Valentim não participaram da reunião e justificaram a ausência, sendo que o Sebastião se ausentou pelo falecimento de sua irmã.

Das moções de congratulações e aplausos que destaco, por ser ligada a imprensa, aprovadas na reunião do dia 04 de abril, de autoria de José Augusto Cabral dadas aos radialistas:

Jairo Fernandes de Oliveira, Luiz Carlos Montenári e José Geraldo Almeida Machado (Gué).

A próxima reunião será dia 10 de abril.

Nota do site:

Essa Câmara de vereadores está sendo marcada por mais participação na sociedade e por convocar vários setores para esclarecer dúvidas sobre suas respectivas entidades e empresas.


Deixe seu comentário

Posts relacionados