Com a história da CPI um nome ficou em evidência Hodômetro: Entenda como funcionam os hodômetros dos automóveis

Você pode não saber o que significa o nome “hodômetro”, mas com certeza já olhou para um. Utilizados para medir a quilometragem, os hodômetros ficam localizados no painel do carro e são divididos em dois tipos: mecânicos – em extinção nos carros fabricados atualmente – e os digitais – utilizados em todos os carros fabricados nos dias atuais. A seguir, explicamos como funcionam esses dois tipos do hodômetro:

Mecânico

Trata-se de um conjunto de engrenagens, girados por um cabo flexível feito de uma mola firmemente enrolada. Geralmente, o cabo gira dentro de um tubo de metal protetor com um alojamento em borracha. Essa engrenagem atua no eixo de saída da transmissão, girando o cabo, que faz o caminho até o painel de instrumentos, onde é conectado ao eixo de entrada do hodômetro.

Esse hodômetro utiliza uma série de três engrenagens sem-fim para atingir 1690:1 de redução. O eixo de entrada aciona o primeiro eixo de rosca, que aciona uma engrenagem. Cada volta completa da rosca só vira um dente da engrenagem. Essa engrenagem gira outra rosca, que gira outra engrenagem, que gira a última rosca e, finalmente, a última engrenagem, acoplada a um indicador de 1 milha.

Na sequência, cada indicador é girado por linguetas no indicador anterior através de uma pequena engrenagem auxiliar. Quando o conjunto de duas linguetas dá a volta até as engrenagens de plástico, um dos dentes cai entre as linguetas e vira com o indicador até que elas passem. Essa engrenagem também engata uma das linguetas no próximo indicador maior, virando o mesmo em um décimo da revolução.

Uma outra característica dos hodômetros digitais é que eles são rebobináveis. Quando você dá marcha à ré no carro, o hodômetro de fato pode voltar.

Digital

O hodômetro digital funciona da mesma maneira que os computadores do bicicleta: uma roda dentada é montada na saída de transmissão e um sensor magnético conta os pulsos conforme a passagem de cada dente da roda. Cada vez que o computador detecta o pulso, ele adiciona mais uma circunferência da roda à distância total e atualiza o mostrador digital. Alguns carros utilizam rodas dentadas e um captador óptico, com o mesmo mecanismo do mouse de computador.

A informação é transmitida ao painel de instrumentos através de um único fio de barramento de comunicação da unidade de controle do motor ao painel de instrumentos. A unidade de controle do motor envia um pacote de informações, composto por um cabeçalho e dados, várias vezes por segundo.

Na realidade se fizermos uma pesquisa rápida com motoristas observamos que os hodômetros tanto mecânico, como os digitais que dizem até ser antifraude, raramente dão defeitos. Na reunião da Câmara na última quinta feira um dos editores do jornal Zonadamataonline, Giovani Nogueira,  perguntou a vários motoristas há quanto tempo tinham veículos e quantos desses veículos tiveram o hodômetro com defeito. Curiosamente, lá tinham pessoas que trabalharam com veículos de transporte de pessoas, motoristas comuns, alguns com mais de 15 anos de profissão e todos foram unanimes, nunca deu defeito o hodômetro dos veículos que dirigi.

Ai fica a pergunta: por que veículos de frotas de órgãos públicos dão tanto defeito? Essa pergunta realmente eu não sei responder e nem sei se há resposta definitiva e fico imaginando os taxistas que rodam 24 horas por dia, será que tem problemas de hodômetro em seus veículos?


Deixe seu comentário

Posts relacionados