Contabilistas e Contribuintes fazem a diferença para Fundo da Criança e o Adolescentes de Leopoldina

No dia 16 de março o CRC MG, sub seccional de Leopoldina, que tem a frente Suzana Araújo realizou um encontro para esclarecer aos contabilistas sobre o processo que visa fazer com que os contribuintes, tanto de pessoa física quanto jurídica, podem destinar parte do que pagam ao Leão para o Fundo Nacional para a Criança e o Adolescente – FNCA. O Fundo tem como objetivo primordial o financiamento de projetos que atuem na garantia da promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente. As doações realizadas por pessoas físicas no momento da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda poderão ser deduzidas até o percentual de 3% sobre o imposto devido apurado na declaração. Já pessoas jurídicas podem deduzir até 1% do lucro real.

Na oportunidade A palestra foi dirigida aos contabilistas das cidades que compõe o CRC MG seccional de Leopoldina sendo elas: Além Paraíba, Argirita, Estrela Dalva, Laranjal, Leopoldina, Palma, Pirapetinga, Recreio e Santo Antonio do Aventureiro e o número de participantes ficou aquém do esperado, mas como disse o profissional de Pirapetinga, Rogério, o importante não é a quantidade, mas o comprometimento dos presentes.

O palestrante foi Paulolinto Pereira, que faz parte do Grupo de trabalho do CRCMG- Grupo do Voluntariado da Classe Contábil, que abraçou essa causa em Leopoldina e cidades vizinhas e tem como empenho em arrecadar recursos para o Fundo da Criança e do Idoso através da Declaração de Imposto de Renda, destinando uma parte para o Município.

Os recursos do Fundo são aplicados exclusivamente na área de criança e adolescente com monitoramento do Conselho Nacional da Criança e do Adolescente (Conanda). O Conselho fixa os critérios de utilização, por meio de planos de aplicação das doações subsidiadas e demais receitas, aplicando necessariamente percentual para incentivo ao acolhimento, sob a forma de guarda, de criança ou adolescente, órfãos ou abandonado, na forma do disposto no art. 227, § 3º, VI, da Constituição Federal.

Podem ser beneficiadas instituições que atuam com a promoção, proteção e defesa dos direitos da criança e do adolescente que tiverem seus projetos aprovados pelo Conanda. Entidades da sociedade civil organizada deverão ainda ter seus projetos aprovados em conformidade com critérios específicos constantes em edital de chamamento público próprio.

A representante do CRC – Seccional Leopoldina, Suzana Araújo, se diz feliz pelos resultados obtidos em Leopoldina e na sua área, ressaltando que algumas cidades da região não obtiveram os recursos porque os conselhos não estavam regularizados, mas algumas pessoas nessa empreitada doaram a conselhos de cidades vizinhas.

Parabéns a classe contabilista e as pessoas que compreenderam a causa e o objetivo maior que é direcionar o imposto a pagar para os conselhos, com isso evitam-se a burocracia para se conseguir que o dinheiro saia do Estado e venha até o município.

Paralelamente a essa mobilização o Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente de Leopoldina, juntamente com a Secretaria Municipal de Assistência Social lançou a Campanha Leão Amigo, no dia 6 de março, no Centro de Convivência da Terceira Idade. Naquela oportunidade participaram a presidente do Conselho Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente, Jalibe Lanne Almeida Dibo Therpin, o Auditor Fiscal e Chefe da Regional da Receita Federal de Cataguases, Alan Martins Bastos, Conselheiros Municipais de Direitos da Criança e do Adolescente, representantes de escritórios de contabilidade de Leopoldina, e de diversas empresas e entidades, além das pessoas físicas e jurídicas que aderiram à Campanha Leão Amigo.

Veja alguns conselhos da região que receberam o apoio das pessoas e lembrando que Leopoldina superou cidades como Ipatinga em termos de valores, já que lá foi arrecadado R$ 28.174,28, sendo que a cidade é praticamente quatro vezes em termos de população.

arrecadação doação IRPF 2017

O auditor fiscal e Chefe da Regional da Receita Federal de Cataguases, Alan Martins Bastos acredita que com a mobilização deste ano e a conscientização das pessoas o ano que vem haverá um aumento considerável nestes repasses e a representante do CRC Leopoldina, Suzana Araújo, que sempre está envolvida em causas sociais disse que essa é uma vitória da classe contabilista e dos contribuintes que entenderam a importância e abraçaram a causa que não é de um grupo, mas de todos.
Agora o Conselho de Leopoldina fica responsável pelos repasses as entidades regularizadas na cidade e na prestação de contas.

Mais uma vez ressaltamos a importância dos conselhos e automaticamente dos conselheiros nas diversas áreas do poder público sendo: criança e adolescente, idoso, saúde, segurança, assistência social e muito mais, um conselho forte e atuante faz a diferença na comunidade. E para o ano de 2018 os municípios que estão com problemas de regularização dos CNPJs dos respectivos conselhos terão a oportunidade de acertarem a documentação.

Veja a lista completa das arrecadações no país inteiro:

Lista dos municípios e doações recebidas


Deixe seu comentário

Posts relacionados