Depois de 997 dias assassino de criança de 04 anos em 2015 é condenado a 34 anos de prisão

Em setembro de 2015, um crime bárbaro chocou os moradores de Leopoldina, a menina Érika Resende Simião de Oliveira foi raptada, vítima de violência sexual e pelo que todos os sinais indicam, sufocada até a morte. O corpo foi abandonado em um barranco do bairro Popular. 

A criança estava dormindo em sua casa, no Bairro Popular onde morava com a mãe, Barbara Resende, e outros dois irmãos. Sua ausência foi notada pela manhã no início da manhã. Logo quando acordou, ela percebeu que a menina havia desaparecido. Em pânico acionou a polícia. Após o contato a PM encontrou o corpo da criança com sinais de estupro, e na boca da menina havia uma grande quantidade de capim, que pode ter servido também para silenciá-la. O principal suspeito do crime era o padrasto da criança, conhecido como Bolinha.
Na ocasião diante da gravidade da ocorrência uma aeronave de Belo Horizonte e o canil de Muriaé, foram utilizados nas buscas o padrasto foragido. O Policial Eliakim Gomes Pereira na ocasião disse: “A população da cidade está chocada e revoltada, a todo momento tentando ajudar nas investigações”. 

Nesta quarta-feira, dia 16 de maio, no Fórum Dr. José Gomes Domingues, da Comarca de Leopoldina, aconteceu o julgamento de José Carlos da Silva Sabino, de 34 anos, “Bolinha”.  

Por correr em segredo de justiça a sessão foi fechada ao público e foi presidida pela Juíza Flávia de Vasconcelos Araújo e atuou na acusação a Promotora Dra. Lúcia Helena Dantas da Costa e como representante da Defensoria pública Dr. André Ricardo Néri. 

Após o julgamento o José Carlos da Silva Sabino acusado foi condenado 34 anos de prisão em regime fechado, sendo 22 anos de prisão pelo crime de homicídio e 12 anos pelo crime de estrupo de vulnerável. A defesa deverá recorrer da sentença, mas a Juíza negou que ele aguarde em liberdade.

Fonte: Jornal Leopoldinense


Deixe seu comentário

Posts relacionados