Encontro de Capoeira aconteceu neste final de semana em Leopoldina com pessoas de Minas, Rio e Espirito Santo

Neste final de semana acontece um encontro de Capoeira com a presença de vários atletas e representantes dos estados do Rio de Janeiro, Espírito Santo e de cidades da nossa região e da capital Mineira. O evento de nome “Capoeira Atluta Brasil”. O mesmo está sendo realizado neste sábado e domingo, no Salão de Festa, Espaço Verde na Rua Funchal Garcia, promovido por um novo grupo da modalidade em Leopoldina, feito pelo mestre Capitão e contou com presença dos mestres de capoeira Wanderson Silva  (conhecido por Capitão)e Aline Lúcia (aluna do grupo), que como dizem  tem a “capoeira no sangue”.

Apesar de haver um debate na Câmara dos Vereadores para a criação do Dia da Capoeira no município, segundo informações, apesar de serem comunicados e de pedirem apoio aos órgãos públicos, o que não foi atendido, não contou com a presença de nenhum representante da área da Cultura, do Esporte e dos poderes legislativos e executivos.

Segundo os participantes foram mais de dez mestres presentes e nesta manhã de domingo, a partir das 9 horas, começaram as trocas e entrega de cordas que tem as seguintes cores: Corda Crua, corda Crua e Amarela, Corta Amarela e ouro, Corda Crua e Laranja, corda amarela e laranja, corda laranja e azul, corda azul, corda azul e verde, corda verde, corda verde e roxa, corda roxa, corta roxa e marrom, corda marrom, corda marrom e vermelha e corda vermelha, cada qual representa uma fase da capoeira.

Segundo historiadores a capoeira tem três estilos: Capoeira Angola que é marcada por ritmo musical lento, golpes jogados mais baixos (próximos ao solo) e muita malícia. O outro estilo é o regional, criado pelo mestre Bimba, que é marcado pela mistura da malícia da capoeira da Angola com o jogo rápido de movimentos, ao som do berimbau, os golpes são mais rápidos e secos e o terceiro estilo é o mais praticado na atualidade é o contemporâneo, que une um pouco dos dois primeiros estilos, ressaltando que a Capoeira é uma só.

Leopoldina tem tradição nessa modalidade, através do mestre Dimas, que já é conhecido nacionalmente e internacionalmente e há outros grupos começando os seus trabalhos e que precisam do apoio e reconhecimento.

O evento realizado neste final de semana é a comprovação da diversificação de mestres e de setores ligados aos esportes e como na Câmara de Vereadores há a criação do dia da Capoeira é bom ressaltar que a Cultura deverá abraçar a todos os praticantes da cidade, valorizando assim a expansão junto às comunidades.

NOTA DO SITE:

Leopoldina geralmente peca em alguns setores, pois centraliza seu foco em pessoas e não na modalidade e nos diversos setores que fazem o trabalho cultural e esportivo, e com isso há uma concentração na distribuição de verbas e na supervalorização e por outro nada na falta de incentivo a aqueles que iniciam alguma atividade no município.

E podemos dar um exemplo clássico, se uma determinada entidade faz cotação de preços de um produto na cidade e um determinado comércio tem o melhor orçamento, ai a mesma entidade pega e negocia com outro setor amigo que pratica o mesmo preço, com isso aquele pequeno comerciante que tinha a melhor oferta nunca terá a condição de crescer, pois um grupo de “amigos” direciona tudo para um determinado setor.

E a mesma coisa no setor do esporte, cultua comércio e outros setores, o cooperativismo faz com que as coisas não caminhem e não há diversificação e ampliação, apenas conservação e protecionismo com o que existe no local. Como eu sempre digo, é a tradição para o mal, para a conservação e concentração do poder em poucas mãos.

Fotos: Rede social

Capoeira lk capoeira1 capoeira2 Capoeira3 capoeira 4 capoeira5 capoeira6


Deixe seu comentário

Posts relacionados