PUBLICIDADE

Montenári é homenageado em sua emissora por um novo comunicador, justa homenagem

Aos 49 anos de rádio o Luiz Carlos Montenári foi homenageado por um programa que estreou nesta segunda feira, dia 20, o novo radialista Pandiá Guimarães e o levou por dois motivos, como ele disse: para homenageá-lo e para garantir a audiência, pois quem não o ouvisse, ligariam para ouvir o Montenári. No programa a vida de Monté foi contada e ele começou a sua trajetória no rádio em 1968, aos 21 anos de idade, com o Roberto Visang Young (Xamego), passou por várias diretorias e fase da rádio ficou algumas vezes afastado por alguns que não conheciam a rádio. O seu irmão Néio Montenári revelou que na época de 68 o exército veio em Leopoldina para prendê-lo pelos seus comentários na época da ditadura e por ter tocado a música de Geraldo Vander – Pra não dizer que não falei das flores, conhecida por Caminhando e o delegado da época Mário Matola evitou que ele fosse preso.
Montenári contou que nasceu cego e ele foi a um médico em Juiz de Fora e foi retirado o oho esquerdo e o olho direito ele não enxergava ai o Chico Xavier veio a Leopoldina e aos 4 anos, Chico benzeu a água e ele começou a enxergar e ele retornou a Juiz de Fora e o seu pai Oldemar Montenári e mostrou que o mesmo havia voltado a enxergar, contrariando o diagnóstico inicial. Ele contou que jogou bola, andou de bicicleta e aos 18 anos caiu de bicicleta e bateu a cabeça no meio fio e a retina descolou e não teve como recuperar, ele fez uma cirurgia em Belo Horizonte e a cirurgia correu tudo bem, mas depois e um tempo ele teve que retornar e criou uma casca e foi feita uma raspagem e não retornou a visão.
No programa contou sobre a história do Resumo Geral um programa policial e onde ele divulgou o assalto a um MOTEL e por esse motivo foi afastado dos programas ao vivo, nessa época não havia os recursos de computador e gravava o seu programa de madrugada na rádio para colocar no ar ao meio dia o DOMINGO ALEGRE que é o programa da época de sua estréia e o mais antigo. O seu sobrinho Oldemar Montenári participou ao vivo e disse que quando criança vinha a Leopoldina e trazia amigos que curtiam as tiradas de seu tio e virou folclore no Rio pelos seus comentários e os amigos gostavam bastante e contou que o Monté não sabia falar o nome do comunicador e falava Pão de Alho e não Pandiá. No programa a Marlene Severo deu um depoimento falando sobre como conheceu Montenári, ela o conheceu na Festa de Santa Isabel, há 30 anos e ele era o homem bravo do rádio e falando da sua convivência com ele há 12 anos e disse que ele é uma pessoa maravilhosa. Outra a dar depoimento foi a sua irmã Lívia Montenári fez um depoimento emocionante falando de suas lembranças de quando era criança e que andava na garupa da sua bicicleta, do Montenári balconista que trabalhava na loja de seu pai e vendia vários produtos de beleza, do tempo que ele jogava futebol e falou ainda do seu programa na década de 70. Falou do orgulho de ser sua irmã e chegou a se emocionar.
Durante o programa o Monté falou se tem algum filho perdido no mundo, mas ele falou que não tem nenhum e houve uma vez que uma pessoa falou que tinha um filho que era dele e colocou até o nome do filho de Luiz Carlos, mas depois desmentiu.
Montenári se emocionou e teve uma justa homenagem, ele que completou 70 anos em 2017 e irá completar 50 anos de rádio em 2018 e apesar de todas as dificuldades enfrentadas e superadas ele disse uma coisa que ele pensa, na sua autencidade: “Não é bom ser cego, falar que é bom é hipocrisia, mas não é ruim também não. Bom seria se fosse cego e rico, pois ser cego e pobre ai sim é ruim”.

NOTA DO SITE:

Uma justa homenagem a um baluarte da comunicação em Leopoldina, talvez seja o mais antigo radialista em atividade na cidade e que merece o respeito de todos pelo seu trabalho não só no rádio, mas nas campanhas e ajuda ao próximo. E o programa em questão lembrou os velhos tempos do rádio na cidade e o comunicador Pandiá que começou agora, com seu estilo próprio usando vocabulários da atualidade deve fazer sucesso. Fica aqui o registro dessa passagem, como de outras, já que sabemos da importância do Montenári na vida de Leopoldina e já destacamos isso algumas vezes no site, na antiga TV Cidade e em outras oportunidades no rádio. Como diz o Montenári, voz bonita ajuda, mas o talento e o conteúdo fazem a diferença. Lembrando que quando o rádio merece destaque o faço, mesmo não sendo mais participante do mesmo e com a mínima chance de voltar ao meio.


    • Pandiá
    • 21 de novembro de 2017
    Responder

    Muito Obrigado Pelo Destaque Marcos Vinicius. Farei considerações hj. Fique com Deus, meu caro.

      • Marcus Vinicius
      • 21 de novembro de 2017
      Responder

      Não tem que agradecer, cito o que considero importante para o rádio, pois como amante da causa sei das dificuldades e dos desafios. Boa sorte e não precisa mencionar nada, pois não fiz com essa intenção.

Deixe seu comentário

Posts relacionados