PUBLICIDADE

Queixas em redes sociais a empresa de transporte coletivo em Leopoldina

Viação Leopoldinense

Recentemente o empresário Waldir Antonio Teixeira e o gerente da viação Leopoldinense, Rogério Almeida, estiveram na Câmara de Vereadores respondendo os questionamentos dos vereadores. Pessoas que assistiram a reunião comentaram que achou a reunião até amena, perante as críticas que a empresa sofre constantemente no plenário.

A questão do transporte público em Leopoldina é uma coisa complexa e há muitas queixas realmente. No facebook a vereadora Kélvia Raquel fez uma alusão ao assunto e depois disso choveram queixas e sugestões sobre o assunto: veja a postagem no link a seguir Postagens no facebook sobre viação leopoldinense.

Algumas sugestões são até válidas e outras foram até respondidas na presença da câmara:

Colocação de Ar condicionado nos ônibus foi pedido em plenário e o empresário disse que nada é impossível, mas há custos e isso impacta no preço das passagens e hoje a passagem, em comparação com outras cidades está abaixo da média.

Ônibus velhos, esse tema foi abordado e o empresário disse que os ônibus são dos anos de 2012, 2013 e 2015, ou seja, são praticamente novos, pois a vida média de um ônibus é de cinco anos e a situação de desgaste dos ônibus tem vários motivos também, o período de uso, as ruas com muitos buracos e imperfeições, os atos de vandalismo que destroem alguns bancos e também a falta de novos veículos implantados, que deverá ser feita.

Novas empresas para concorrer, neste caso não sei se a cidade comporta, pois o poder aquisitivo da cidade não se pode comparar com o de cidades como Cataguases, lá a renda é mais bem distribuída, há quem diga que Leopoldina rola mais dinheiro, mas em poucas mãos e também tem a questão o número de gratuidade que aqui são oferecidas para diversos setores, ai fica minha dúvida daria para sobreviver duas empresas?

Horário de ônibus na saída das escolas, essa semana fui informado que houve críticas que pessoas esperaram 40 minutos nas imediações da Praça do Ginásio por um ônibus e que inclusive foi motivo de crítica. Coincidentemente encontrei com o gerente da empresa, Rogério e ele me informou que verificou o fato e fez a seguinte observação: os horários noturnos do ginásio dispensam seus alunos às 21h30min horas e 22h20min horas e o ônibus em questão, se não me engano da Nova Leopoldina sai do ponto final aos 40 minutos, ou seja, saiu às 21h40min horas e passa por volta das 21h50min horas ou um pouco mais tarde, dependendo do trânsito e o outro passa às 21h50min horas, no caso em questão os alunos foram liberados dentro desse período e não há como se atender todos os colégios ao mesmo tempo, mas a empresa irá estudar o caso.

Idosos entrarem na parte traseira do ônibus, essa queixa se faz porque há muitos idosos que ocupam o espaço antes da roleta e devido ao grande volume de pessoas nessas condições que utilizam, fica às vezes em pé. A sugestão para entrarem pela porta de trás, segundo conversei com uma pessoa da empresa tem dois problemas: primeiro como o trocador controlaria se é verdadeiramente idoso ou não, tem a carteirinha de identificação, se na parte dianteira já há falhas, imagina longe do trocador e a segunda questão os idosos iriam andar mais dentro do ônibus e o risco de queda seria maior. Segundo o proprietário da empresa, não há registro de quedas de idosos nos ônibus, pelo menos que chegaram até a central da empresa, há muitos boatos, registros nenhum.

Veículos correndo nas vias públicas, esse fato pode até acontecer, mas deve ser raro, pois as ruas não comportam grande velocidade devido a suas características e os problemas nelas existentes. É claro que um veículo grande quando atinge certa velocidade trás mais impacto no barulho e na movimentação, lembro que a lei diz que a velocidade mínima dentro da cidade é de 20 km por hora. Recentemente estive em Cataguases e no trecho que passa perto da rodoviária daquele município uma das empresas realmente faz uma pista de corrida, sendo que a outra empresa o veículo passou mais lento e tranquilo, questão de visão de motoristas.

Bancos danificados e rasgados, realmente há alguns bancos danificados, mas devido ao grande volume de linhas diárias, dificulta a manutenção, mas segundo a empresa os bancos têm duas camadas protetoras e há realmente alguns casos de desgaste natural e outros de vandalismo, onde as pessoas rasgam, rabiscam os mesmos, não se preocupando que aquele veículo é para atender a população.

Superlotação há muitas queixas nesse sentido por causa dos alunos que frequentam as linhas, principalmente na hora de entrada e saída de escolas, devido aos passes escolares. Segundo a empresa será feito um estudo para ver aonde deverá ter reforço de ônibus e há queixas que as pessoas que pagam a passagem ficam em pé enquanto os alunos ficam sentados, ai vem à questão de educação, pois os alunos viajam com o passe, que para a empresa é 50% do valor da passagem e para os alunos sem custo algum. Mas quanto a não darem lugares para os usuários normais e principalmente idosos, mulheres grávidas isso é questão de educação de um povo.

Haveria muito mais pontos a serem abordados, mas fica aqui o registro, como já disse em outras postagens há necessidade de melhorias sim, como novos ônibus, horários expostos, divulgação dos horários, estudar os horários nos finais de semana, canal de divulgação de reclamações via rede social, mas em contra partida deverá ter também melhores manutenções nas ruas, mais educação dos usuários e mais respeito a aqueles ao próximo.

Só para conhecimento, os preços das passagens em nossa região atualmente, com algumas tarifas que deverão ainda ser ajustadas por serem aumentos anuais:

Juiz de Fora – R$ 2,75 e Bilhete único R$ 4,13

Barbacena – R$ 3,10

Além Paraíba – R$ 2,90

Cataguases – R$ 2,25 (aumentos reajustados em março de cada ano)

 


Deixe seu comentário

Posts relacionados

BUSCA

Exact matches only
Search in title
Search in content
Search in posts
Search in pages

PUBLICIDADE

MAIS ACESSADOS

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

NOTA DE FALECIMENTO