Reunião entre alguns vereadores e Professores na Câmara de Vereadores causa surpresa nos demais vereadores

O caso dos professores toma proporções e há o uso político no caso, nesta quinta-feira à tarde no Plenário da Câmara de Vereadores de Leopoldina aconteceu uma reunião entre alguns vereadores e os professores que receberam indevidamente a gratificação, ressaltando que eles não tem culpa foi um erro interno da prefeitura, e o que chamou a atenção é que nem todos os vereadores se fizeram presentes. 

A reunião teve a participação, segundo informações de seis vereadores: o presidente Darci Portela, Jacques Vilella, José Augusto Cabral, Valdair Costa, Valdilúcio Malaquias, Sebastião Valentim e contou com grande presença dos professores. 

Segundo informações os professores ao serem procurados por alguns secretários para poderem assinar um documento se comprometendo a devolver os valores recebidos a mais no período de 18 meses, ao lerem o documento se sentiram ameaçados e alguns se recusaram a assinar o mesmo. 

O clima ficou tenso e há informações que o Prefeito José Roberto também não está satisfeito com o erro cometido, já que a falha foi interna e não sabemos qual será a sua decisão no caso. A realidade é que ao invés de se tentar chegar a um acordo há o uso político no caso nas redes sociais e se deveria ter a negociação entre as partes, os professores que são filiados ao SindUTE e a Prefeitura Municipal, com a participação do legislativo evitando o confronto direto. 

Mas o que chama a atenção é que na reunião os demais vereadores não estiveram presentes e segundo foi apurado o líder do Prefeito na Câmara, Rogério Machado (Suíno), se disse insatisfeito com o ocorrido, pois, acredita que todos os vereadores deveriam ter sido convidados e ele como líder, ou seja, a ligação do legislativo com o executivo se sentiu excluído da mesma. 

A realidade é que a gratificação é uma forma de valorizar uma classe trabalhista, como um agrado ou um reconhecimento dos serviços prestados, seja no público ou no privado e o erro ao que parece não causou nenhum dano maior nas despesas de pessoal e acredito que a melhor saída seria o corte da gratificação até o momento e não sei se é possível deixar os valores pagos a maior serem deixados como gratificação aos professores. Nesse caso não sei se há como, pois, houve um não cumprimento da lei editada pelo executivo e não foi cumprida integralmente. 

A realidade é que erros servem para um alerta e demonstra falhas no serviço público, que tem que se ter mais observância nos seus processos e acredito que nenhum prefeito gostaria que isso acontecesse em sua gestão.  

A realidade é que Leopoldina vive eleição o tempo todo e o próprio site em algumas matérias publicadas sempre ressalta que a “guerra política” presente na cidade em muitos casos só causa o desgaste e a cidade que perde. É a velha história em muitos casos as pessoas pesam em si mesmo e se esquecem do coletivo. 

Não sabemos qual o processo de convite realizado para a reunião e nem quem foi o que tomou frente e fez o convite, mas o fato realmente chama a atenção pelo fato de ter sido realizado dentro das dependências da Câmara sem o conhecimento, pelo que sei, de todos os vereadores da atual legislatura. 

Não sabemos o que foi decidido na reunião, mas acreditamos que o diálogo é o melhor caminho para resolver os problemas em vigor.

NOTA DO SITE:

O poder legislativo está fazendo em muitos casos o seu trabalho de ouvir a população, os servidores e apurar os fatos, que é o seu papel de órgão fiscalizador e nesse caso está de parabéns, o que não pode acontecer é quando o assunto for de interesse maior que haja a preocupação de participação de todos os membros da casa.

Foto de capa facebook


Deixe seu comentário

Posts relacionados